Chega de sofá! 10 dicas para entrar no ritmo e se exercitar

Chega de sofá! 10 dicas para entrar no ritmo e se exercitar

Nosso especialista faz um passo a passo sobre como começar a colocar uma atividade física na rotina

18/10/2017



Está difícil botar em prática a promessa de se exercitar mais? Com a ajuda de Nelson Evêncio, educador físico e presidente da Associação dos Treinadores de Corrida de São Paulo (ATC), preparamos uma lista com dez dicas para ajudar os iniciantes a colocar os exercícios na rotina.

 

 

 

1. Primeiro de tudo, tem que gostar

 

 

O que você realmente gosta de fazer? Escolha uma atividade que te proporcione prazer de verdade. Se sempre gostou de correr em lugares abertos, pra que mesmo vai insistir na esteira? Musculação não é a sua praia, mas você sente que os músculos estão indo embora? Há muitas alternativas por aí – basta pesquisar para encontrar algo que tenha mais a ver com você.

 

2. Tic-tac, o tempo vai passando...

 

 

Para adultos com idade entre 18 e 64 anos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda pelo menos 75 minutos semanais de atividade física vigorosa ou 150 minutos de atividade física moderada para melhorar as funções musculares e cardiorrespiratórias. As sessões devem ter no mínimo 10 minutos de duração e não há determinação de frequência mínima semanal. Faça as contas e você vai ver que a velha desculpa da falta de tempo é só isso mesmo – uma desculpa. Que tal começar... agora?

 

3. Estica e puxa!

 

 

Alongar, alongar e alongar... sem preguiça! Exercícios de alongamento ajudam a condicionar o corpo e a reduzir o risco de lesão. Não se exercitou? Alongue-se pelo menos três vezes por semana. Fez sua atividade física do dia? Alongue-se logo em seguida, com calma e foco em cada movimento.

 

4. Um dia de cada vez

 

 

Quem está colocando o esqueleto para mexer depois de muito tempo parado precisa lembrar de respeitar o próprio corpo. Vá devagar e, principalmente no começo, faça exercícios em dias alternados. Descanso é fundamental!

 

5. Se alimente, rapaz!

 

 

Quem nunca passou mal ao sair para caminhar e aplacar a culpa depois de repetir aquele prato de feijoada? Ou decidiu treinar em jejum e sentiu aquele mal-estar com poucos minutos de esteira? A regra é clara: nada de comer pouco nem de comer demais. Está cheio de dúvidas sobre o que comer antes dos exercícios? Consulte um nutricionista – ele vai te ajudar a construir uma estratégia alimentar de acordo com os seus objetivos.  

 

6. Estipule metas – mas seja realista!

 

 

Estabelecer metas é um jeito de se manter motivado. Mas cuidado para não propor objetivos muito altos – se eles forem difíceis demais ou impossíveis de serem cumpridos, podem virar frustração e sabotar seus planos. Não adianta querer correr uma maratona depois de só seis meses de dedicação à corrida, ou planejar perder em três meses os quilos que levou anos a fio para acumular – a chance de você se machucar e ter de rever seus objetivos é grande.

 

7. Com resultado

 

 

Quem quer ver resultado – seja emagrecer, definir os músculos ou ganhar condicionamento e resistência – não pode ter pressa, e precisa de uma boa dose de disciplina. O prazo para ver os primeiros resultados varia de pessoa para pessoa e depende de fatores como regularidade, dedicação e características físicas de cada um. Comparar seus resultados com o do colega? Nem pensar! Aliás, por que a pressa?

 

8. Com que roupa eu vou?

 

 

Nada de improviso na hora de escolher as roupas e os acessórios. Quem quer começar a correr não pode abrir mão de um bom tênis, adequado para o seu perfil (a não ser que você queira correr descalço, é claro!). Vai nadar? Procure um traje de banho confortável e óculos que não atrapalhem na hora das braçadas. Conforto e segurança devem sempre orientar a escolha.

  

9. Tá quente, tá frio...

 

 

É verão e está muito calor? Nada de fazer exercícios perto do meio-dia, debaixo de sol. O frio está de cortar a pele? Agasalhe-se ou espere aquele solzinho do inverno dar as caras. O que importa é nadar conforme a maré e se planejar direitinho. Se atrapalhou e não deu para se exercitar no horário e no clima mais adequado? Então vá com calma e faça a atividade num ritmo mais leve, sem forçar a barra.

 

10. Consulte um especialista

 

 

Decidiu mesmo começar a se mexer? Uma visita ao médico não faz mal a ninguém. Um check-up pode te ajudar a evitar lesões e outros problemas de saúde e também te dar ainda mais ânimo para alcançar seus objetivos com a atividade física. Se for possível, também peça a orientação de um educador físico – pode ser aquele da academia ou um particular. Melhor prevenir do que remediar, o seguro morreu de velho... ditado popular para lembrar que é melhor ser prudente é o que não falta!

 


Compartilhe:

30 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação

Comentários recentes:

Andrea Liciane

29 de novembro de 2018

Quando haverá corrida em Curitiba ??

Viva a Longevidade

04 de junho de 2019

Olá, Andrea, Boa tarde, tudo bem?

O calendário do Circuito da Longevidade, está sendo divulgado gradativamente, nós teremos etapas em várias cidades do Brasil.
Veja quais são as cidades já foram confirmadas: https://www.vivaalongevidade.com.br/circuito-da-longevidade
Fique de olho no site que divulgaremos por lá, outras cidades, assim que mais datas forem definidas. Divulgaremos via e-mail também, portanto aproveite para se cadastrar.
Além disso, aproveite para assinar a nossa newsletter (no rodapé do site) e acompanhe sempre conteúdos que vão ajudá-la a viver mais e melhor. https://www.vivaalongevidade.com.br/

Obrigado.

Att,

Equipe Viva a Longevidade.