7 exercícios que serão tendências em 2018

Quer variar um pouco o seu treino? Esta lista mostra algumas opções

02/02/2018



Quem disse que a lista de exercícios para manter a forma se resume ao mesmo de sempre: corrida, bicicleta e musculação? Se você já cansou de fazer tudo sempre igual, a revista Saúde divulgou uma lista com algumas inspirações, apontando os exercícios que vão bombar neste ano.

 

Essa lista é baseada em uma pesquisa feita pelo Colégio Americano de Medicina do Esporte, que consultou 4.133 profissionais da área (como personal trainers, fisiologistas, médicos e professores) para saber quais são as tendências do mundo da educação física em 2018. Confira alguns deles abaixo – e chega de desculpa para não mudar a rotina.

 

Treino intervalado de alta intensidade

Para queimar muitas calorias em até 30 minutos, é um treino que intercala esforços em sua máxima intensidade com intervalos para recuperação. “Nesse tipo de exercício, queimam-se mais calorias por minuto porque a demanda de energia é maior”, explica o médico Fernando Torres, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, em entrevista à revista Saúde. Por outro lado, o intervalado aumenta o risco de lesões, por isso deve ser feito com acompanhamento profissional.

 

 

 

Atividades em grupo

Fazer exercícios com mais gente não traz só benefícios físicos: melhora também a saúde emocional, descobriram pesquisadores da Universidade da Nova Inglaterra, na Austrália. Em um estudo, o grupo que malhou junto teve redução de 26% no estresse. Uma boa razão para seguir essa tendência.

 

Treino com o peso do próprio corpo

Também conhecido como calistenia, é um treino em que as pessoas usam seu próprio peso para malhar. Com isso, aumentam a força, a agilidade e a flexibilidade – mas também é fundamental ter acompanhamento profissional. “Dependendo do peso do praticante, a carga pode ser maior do que a recomendada para a musculatura”, pondera Torres.

 

Ioga

 

Essa atividade não é só relaxante, também traz vários benefícios, pois melhora equilíbrio, definição muscular, força e coordenação motora – e as posturas ajudam na respiração e na concentração.

 

Rolos para flexibilidade e mobilidade

 

Aqueles longos cilindros de espuma, borracha ou madeira são usados para massagear o corpo, estimular a circulação, relaxar a musculatura e aumentar a amplitude de movimento das articulações. Em geral, são usados na parte baixa das costas, no quadril, nos músculos posteriores da coxa e no glúteo.

 

Core training

 

Treino focado na região que compreende os músculos abdominais, a lombar, a pelve e o quadril, responsável pela sustentação e estabilização durante praticamente todos os gestos que executamos. Ioga, pilates e ginástica funcional são algumas modalidades que treinam essa parte do corpo. “Treinar a musculatura dessa região permite aumentar a estabilidade e a eficiência dos movimentos, além de melhorar postura e equilíbrio”, afirma Bruno Gion, educador físico do Hospital Israelita Albert Einstein, em entrevista à revista Saúde.

 

Wellness coaching

 

Não chega a ser uma atividade física. É um método de orientação baseado em um compromisso com o bem-estar, no qual um especialista (ou coach) nos ajuda a ter mais consciência na escolha das atividades físicas e do que comemos, baseando-se nas necessidades de cada um.


Compartilhe:

1 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação

Comentários recentes:

elizabete

29 de abril de 2018

gostaria de receber informações ref. a longevidade .

Viva a Longevidade

04 de junho de 2019

Olá, Elizabete, 
Para receber mais conteúdos sobre Longevidade, você pode assinar a nossa newsletter. 
Att. equipe Viva a Longevidade