8 fatos que você deveria saber sobre corrida descalça

8 fatos que você deveria saber sobre corrida descalça

A prática de correr descalço vem ganhando terreno em treinos e provas no Brasil e no mundo. Conheça os benefícios.

18/10/2017



Cada vez mais aparecem em provas de corrida pessoas com os pés como vieram ao mundo: livres, leves e soltos. Quase como uma volta aos tempos passados. Mas é só tirar o tênis e sair correndo?

 

Não, não é bem assim. Falamos com Valéria Duarte Garcia, professora de corrida e maratonista, adepta do barefoot (ou corrida natural) que preparou essa lista de dicas e curiosidades sobre a prática.

 

Dicas e curiosidades sobre a corrida descalça

Correr como uma criança

Correr como uma criança

O mais importante da corrida natural nem é estar descalço, mas observar a movimentação ao correr. “A biomecânica se aproxima da natural, vide uma criança correndo”, explica a professora de corrida Valéria Duarte Garcia. Vale usar calçados minimalistas ou tênis do tipo drop zero (a diferença de altura da sola entre o antepé e o calcanhar é de quase zero milímetro).

A força dos pés

A força dos pés

“O pé humano é uma peça única de engenharia e uma obra de arte”, disse Leonardo da Vinci. Ele é constituído por 26 ossos – cerca de um quarto dos ossos do corpo, se considerarmos os dois pés. O pé tem também 33 músculos e mais de 100 ligamentos.

Comece ficando descalço de casa

Comece ficando descalço em casa

“Depois, experimente caminhar em parques, na grama e na areia”, diz Valéria. Isso vai estimular o fortalecimento das estruturas dos pés e até mudar a movimentação. Ao aumentar a sensibilidade da sola dos pés, a comunicação com o cérebro aumenta e isso reflete no padrão dos movimentos. É como ter usado luvas o tempo todo e, ao tirar, começar a perceber o mundo pelo tato.

Corpo pronto para o impacto

Corpo pronto para o impacto

Aviso: a transição pode levar alguns anos. Sem o tênis convencional, é o corpo que absorve o impacto. Por isso, é importante mudar a maneira de se mover. “Temos mecanismos naturais de proteção, mas é preciso readaptar, restabelecendo a musculatura e as estruturas gerais dos pés para evitar lesões”, diz Valeria. Não se deve pular etapas nem ter pressa.

Tem competição de corrida descalça?

Tem competição de corrida descalça?

Não existe uma categoria de provas barefoot ou minimalista. Mas é mais fácil encontrar esses corredores em ambientes naturais, como em corridas em trilhas e em montanhas, disputadas em solo variado, de terra, pedra e plantas rasteiras que é mais confortável para a sola dos pés do que o asfalto. Entre os adeptos, há muitos maratonistas (corridas de até 42,195 km), ou ultramaratonistas, que podem correr até a casa da centena de quilômetros de uma vez.

Nas olimpíadas também tem

Nas Olimpíadas também tem

Nas Olimpíadas de Roma 1960, o etíope Abebe Bikila venceu a maratona descalço – e de quebra bateu o recorde mundial, com o tempo de 2h15min16s. A corredora sul-africana Zola Budd correu os 3.000 metros rasos descalça em Los Angeles 1984, mas por conta de uma colisão com a atleta Mary Decker acabou perdendo. De Cingapura, P.C. Suppiah correu descalço em Munique 1972. Em Sidney 2000, a queniana Teglah Loroupe correu em diversas modalidades com tênis minimalista e, quando mais jovem, só competia descalça.

De sandália também

De sandália também

Os tarahumaras são um povo do México que corre longas distâncias descalços ou com sandálias tradicionais, chamadas de “huaraches”. Há relatos e registros de corridas de mais de 300 quilômetros contínuos, apenas com as sandálias.

Uma breve história do tênis de corrida

Uma breve história do tênis de corrida

O processo de vulcanização da borracha, desenvolvido no ano de 1839, foi assimilado na fabricação dos primeiros calçados esportivos. Feitos de materiais como tecido, borracha e couro, não tinham sistemas sofisticados de amortecimento, nem calcanhar mais alto, como os tênis que chegaram nos anos 1960 e 1970. Em 2004, essa história muda de direção, com os calçados minimalista, sucesso entre os corredores descalços.

ATENÇÃO

Antes de aderir à prática da corrida descalça, procure o acompanhamento de um especialista. O seu corpo precisa de um período de adaptação antes de deixar o tênis de lado.


Compartilhe:

8 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação

Comentários recentes:

Luisa Gata

12 de novembro de 2018

MATÉRIA MUITO BOA