Correr protege a memória do estresse crônico

Atividade física fortalece a sinapse e blinda o cérebro contra os efeitos nocivos do estresse

20/02/2018



Todo mundo sabe que fazer exercícios nos ajuda a aliviar a tensão. Mas as atividades físicas – em especial a corrida – podem trazer um outro benefício: evitar que o estresse crônico prejudique o hipocampo, a parte do cérebro responsável pelo aprendizado e pela memória, aponta um estudo realizado com ratos na Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos.

 

“O exercício é uma forma simples e eficiente de eliminar os impactos negativos do estresse crônico na memória”, revelou o autor principal do estudo, Jeff Edwards, à Medical Xpress (leia aqui, em inglês).

 

 

 

A formação da memória acontece quando há fortalecimento das sinapses – as conexões entre neurônios – em um processo chamado de Potenciação de Longa Duração (LTP). Em períodos de estresse prolongado, a LTP diminui, o que por sua vez impacta a memória.

 

O estudo, publicado na Neurobiology of Learning and Memory (leia aqui, em inglês), aponta que os níveis de LTP não diminuíram quando os ratos se exercitavam – e que esses roedores tinham resultados tão bons quando os que não estavam estressados. “A situação ideal para melhorar o aprendizado e a memória seria não ter que passar por estresse e se exercitar”, diz Edward. “Claro que não podemos controlar o estresse em nossas vidas, mas podemos controlar quanto exercício fazemos”, explica.


Compartilhe:

0 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação