Por que é importante continuar andando — mesmo dentro de casa

Caminhar, mesmo que devagar, é uma boa maneira de alcançar uma longevidade saudável

20/04/2020



Andar faz muito bem para a saúde, e acrescentar 4.000 passos ao seu dia, em qualquer ritmo, reduz em 50% o risco de morte prematura por causa de doenças do coração e câncer, por exemplo, informa um artigo do The New York Times.

 

Se não dá para ir ao parque ou passear nas ruas por causa da quarentena contra o novo coronavírus, não tem problema. Dar 4.000 passos pela casa, sem pressa, já conta como exercício.

 

Um estudo recente avaliou os dados de 5.000 pessoas e mostrou que as que passaram a dar mais 4.000 passos por dia tiveram 50% menos chance de morte prematura — e o que mais reduziu a mortalidade foi a quantidade de passos, e não sua intensidade. "Não vimos benefícios extras por causa da intensidade do exercício", afirma o pesquisador Charles Matthews, autor do estudo.

 

 

Como ele, outros autores de pesquisas sobre os benefícios da caminhada para a longevidade não encontraram associação entre a velocidade dos passos e a mortalidade, e sim entre a quantidade andada e a redução do risco de morte prematura.

 

Quanto mais der para andar, melhor. Segundo o estudo conduzido por Matthews, as pessoas que davam em média 8.000 passos por dia tinham metade da chance de morrer do que as que chegavam aos 4.000; já as que caminhavam 12.000 reduziram o risco de morte em 65%.

 

Ou seja: vale a pena caminhar, mesmo que seja na sala e nos corredores de casa. Por isso, Matthews recomenda tentar se locomover durante o dia, mesmo devagar. Para saber como está seu pique, use o celular ou uma pulseira ou relógio inteligente para contar os passos e saber se bateu a meta do dia.


Compartilhe:

0 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação