Investir a longo prazo não é terceirizar responsabilidades

Contratar um gestor profissional é recomendado, mas é importante acompanhar a evolução da carteira

23/12/2019 - por Mara Luquet



Quando o seu horizonte de investimento é de médio e longo prazo, há dois riscos que representam lados opostos de uma mesma moeda: pular de uma aplicação para outra a qualquer oscilação dos mercados ou esquecer completamente de acompanhar a sua carteira.

 

Nos dois casos, você estará cometendo erros que podem comprometer o sucesso do seu investimento. Não subestime essa armadilha.

 

 

Hoje é perfeitamente possível contratar gestores profissionais para cuidar da sua carteira de investimentos. E, para quem tem planos de aposentadoria patrocinados por seus empregadores, esse é um caminho inevitável.

 

A boa notícia é que há excelentes gestores no mercado brasileiro, e entregar a sua carteira a um time de profissionais treinados, com métodos e processos bem-definidos, parece mais interessante do que deixar essa tarefa à solidão de suas escolhas, frente a uma tela de computador, por exemplo.

 

Mas escolher um gestor profissional para os seus investimentos é uma tarefa que exige uma certa dedicação na hora de avaliar o cardápio de ofertas.

 

E mais: exige o acompanhamento da sua evolução ao longo dos anos. Num mundo tão volátil e dinâmico, você precisa, sim, acompanhar os seus investimentos.

 

Muitas pessoas não sabem sequer a resposta para perguntas básicas como:

  • Quanto o seu gestor cobra pelo serviço?
  • Ele realmente está cobrando o correto?
  • Qual a estrutura que ele dispõe para a tomada de decisões?

 

Ao entregar os seus recursos para um gestor profissional, aplicando por meio de fundos de investimento, você está autorizando que ele compre e venda ativos em seu nome. Você costuma acompanhar o desempenho da sua carteira, para saber se o gestor está cumprindo o mandato que você deu para ele? E isso não apenas quando a carteira está indo mal, mas também quando ela está indo muito bem?

 

É normal que investidores só peçam explicações quando as cotas dos fundos apresentam perdas. Mas e os ganhos? De onde estão vindo? Ganhos muito acima da meta podem representar riscos igualmente altos, e nem sempre você está preparado para eles.

 

Atenção redobrada aos fundos de pensão

Investimentos de longo prazo, principalmente para aposentadoria, precisam de atenção redobrada.

 

Veja, por exemplo, a situação dos participantes de fundos de pensão. É esse o seu caso? Você acompanha a evolução? Foram criados diversos mecanismos legais para facilitar o seu trabalho, mas você os utiliza?

 

Num mundo tão volátil e dinâmico, você precisa, sim, acompanhar os seus investimentos.

O participante recebe informações periódicas e, legalmente, o gestor é responsável não só por mandar essas informações, como também por responder às suas dúvidas.

 

Você sabia que, nos fundos de pensão, existe a figura do Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado (AETQ)? Toda fundação tem essa figura que, na maior parte das vezes, é o diretor de investimento ou alguém que seja certificado e habilitado em investimentos. Ele é quem responde legalmente pelas políticas de investimento.

 

Esse profissional também é o responsável pelo modelo de Asset Liability Management (ALM), que gera o índice de solvência do plano e mostra a solidez do fundo. Traduzindo, ele indica se os investimentos atuais e a expectativa de rentabilidade serão capazes de cumprir as obrigações futuras, ou seja, ter o suficiente para pagar o seu benefício.

 

Se a meta não está sendo cumprida, é sua obrigação entender o que está acontecendo.

 

Por isso, avalie investir tempo também em buscar repostas para suas dúvidas quanto à evolução das suas aplicações. E, se o gestor demorar em responder ou não tiver respostas, é hora de pensar seriamente em trocar de gestor.

0 Perguntas:

Pergunta enviada
para aprovação


Compartilhe: