Robson Caetano - O que é fratura por estresse

O que é fratura por estresse?

Essa lesão pode ser confundida com a canelite. Vem comigo, que eu explico a diferença

por Robson Caetano



Você já passou a mão sobre a sua canela e sentiu que ela tem algumas pequenas ondulações? Essas são as fraturas por estresse, o tema da coluna de hoje.  

 

A fratura por estresse tem como principal característica um acometimento dos ossos que estão ligados a algumas partes do corpo (pés, tíbia e fêmur) e que sofrem com os impactos provocados por exercícios como a corrida, o futebol, o vôlei, o basquete, a ginástica rítmica, enfim, todas aquelas modalidades em que o peso do corpo sobrecarrega essas estruturas contra o chão.

 

Eu tenho uma história curiosa relacionada às fraturas por estresse.

 

 

No início da minha carreira, eu costumava ter a famosa canelite (já falamos sobre ela aqui), que é a inflamação no músculo sóleo (o músculo da perna que sustenta o corpo e movimenta o pé). É uma inflamação muito comum na adolescência, mas acontece também na fase adulta, quando ocorre uma expansão muscular por hipertrofia muscular. Foi o que aconteceu comigo, ou melhor, foi o que eu achei que tinha acontecido comigo.

 

Já na fase final da minha carreira de atleta profissional, eu comecei a sentir muitas dores na minha canela. Eram sintomas que, pelo que eu já tinha ouvido falar, seriam diagnosticados como típicos da canelite.

 

Mas não era o caso.

 

Diferentemente da canelite, a fratura por estresse abre, ao longo do tempo, pequenas fissuras nos ossos de impacto (lembra o que eu falei lá no início desse texto?). Esses ossos, pela repetição dos movimentos, são solicitados a absorver a força gerada por exercícios como corrida, salto e freadas mais bruscas.

 

A origem da fratura por estresse está ligada às repetições de exercícios para que o esportista melhore os seus resultados, por isso são mais comuns em atletas de alto rendimento, que sofrem muito já nos últimos anos da carreira, quando as musculatura está ajustada ao organismo.

 

Acho que estou com uma fratura por estresse. O que fazer?

A coisa mais importante a se fazer é procurar um médico ortopedista de sua confiança, que irá fazer o diagnóstico e sugerir o tratamento adequado. Além disso, pare todas as atividades de impacto e não faça automedicação. Sabe por quê?

 

Porque o exercício será feito de maneira errada. Pense: você estará com uma dor nos seus pés ou na sua perna. Sabe o que você vai tentar fazer? Compensar. E sabe qual é o resultado disso? A sobrecarga de outros grupos musculares. Em um primeiro momento, até vai parecer que está tudo bem, mas logo depois você vai acabar machucando o que estava saudável.

 

Devo dizer não é nada fácil o tratamento, pois o remédio para curar as fraturas deve ser inoculado, ou seja, aplicado na área. E isso pode causar um pequeno incômodo, pois pode não existir muito músculo para diminuir o desconforto da agulha. O tempo de tratamento depende muito de paciente para paciente, mas, com 4 sessões de aplicações, o resultado já deve começar a aparecer.

 

Como já falei, é necessário parar com os exercícios de impacto – ou substituí-los por atividades na piscina ou na bicicleta. Isso irá deixar você mais confortável para realizar tanto os treinos intervalados (tiros de repetição) quanto os contínuos (exercícios de longa duração, sem intervalo).

 

Portanto, reforçando:

Canelite é a inflamação do músculo da canela, que pressiona a tíbia e gera um incômodo muito grande nessa região.

Fratura por estresse é uma dor mais localizada, normalmente na parte da frente da canela, ou na tíbia, no calcanhar, no fêmur e em outros ossos ligados a essas estruturas.

 

Mulheres, uma atenção especial a vocês, especialmente para quem tem osteoporose e um ciclo menstrual irregular ou com IMC baixo. Uma matéria da revista Runner’s World mostra um estudo que relaciona essas condições a um risco maior de desenvolver a fratura por estresse.

 

Por isso, pensem também na possibilidade de variar os exercícios (bicicleta, natação, hidroginástica) para amenizar os impactos e dar longa vida a sua estrutura óssea.

 

Estamos entendidos?

 

Um forte abraço se mantenha ativo, pois o corpo nasceu para o movimento.

0 Perguntas:

Pergunta enviada
para aprovação


Compartilhe: