10 coisas que você tem de agradecer às gerações mais velhas

Lista traz conquistas e avanços nos campos econômico, esportivo, político, social e tecnológico

05/03/2018



Se o celular é uma extensão da nossa vida e você não sabe viver sem ele, bom, é hora de você prestar algumas homenagens a quem abriu o caminho quando “tudo isso aqui era mato”. Pois é, você gosta daquela série sensacional que dá para ver no seu celular/tablet/laptop? Não existiria Netflix, por exemplo, sem a combinação de algumas invenções. E não estamos falando apenas de tecnologia, mas também de alguns serviços e hábitos.

 

Por isso, jovem, aqui vai uma série de conquistas e avanços que precisamos agradecer a quem veio antes de nós, que mudaram a forma da sociedade conviver e marcaram época. Afinal, novas tecnologias e lançamentos não surgem de um dia para o outro.

 

Celular

 

 

O primeiro aparelho celular não tirava fotos, sem opção para áudio e acesso à internet (até porque ela sequer não existia). Mesmo assim pode ser considerado uma das principais inovações dos últimos 50 anos. Com autonomia de bateria para apenas 20 minutos, o aparelho foi criado pesando quase 1 kg em 1973 pelo cientista Martin Cooper. A serviço da Motorola, Cooper indicou o caminho para os modelos vindouros e pode ser considerado um dos pais da telefonia celular. No Brasil, o primeiro modelo comercializado foi na década de 1990. Quem se interessou precisou entrar em uma fila de quase dois anos para receber a linha. Sim, houve uma época em que era preciso esperar para ter um número de celular.

 

Videolocadoras

 

 

Alugar filmes em uma videolocadora foi uma opção popular de entretenimento, especialmente com uma pizza quentinha esperando para ser devorada. Mais ou menos como acontece com a Netflix ou Amazon Prime hoje – e isso não é por acaso. Os sistemas de streaming são inspirados no modelo das videolocadoras, com a diferença que agora você pode alugar um mundo de filmes e pode assistir quando e onde quiser.

 

O pioneiro em matéria de locadora de vídeos foi o alemão Eckhard Baum, em 1975. Deu tão certo que se espalhou pelo mundo. Em 2005, havia cerca de 14 mil locadoras só no Brasil, de acordo com a União Brasileira de Vídeo. Só tinha que se lembrar de rebobinar o filme para evitar o pagamento de multa na próxima locação.

 

Cartão de crédito

 

 

O cartão de crédito é uma das importantes inovações econômicas de nossos tempos. Se você abrir a sua carteira é mais provável que tenha mais esse plástico do que notas. Isso se os seus cartões já não estiverem cadastrados nos aplicativos que você usa para fazer compras, reservar um hotel ou se locomover pela cidade de táxi ou Uber. Mas quando foi criado, na década de 50, era um objeto fabricado em papel com circulação exclusiva entre os conhecidos do americano Frank X. McNamara, fundador da rede de serviços financeiros Diners Club. Mais prático do que carregar dinheiro, o cartão ganhou adeptos e logo se transformou na versão consagrada até hoje.

 

TV e nossas séries

 

 

Maratona de séries no fim de semana chuvoso é um ótimo programa, não é mesmo? A nossa relação com histórias contadas e mostradas numa tela, no conforto da nossa casa, vem de muito tempo. Assistir “alguma coisa” é algo transmitido de geração para geração. No Brasil, vem desde a década de 1950 quando a TV Tupi transmitiu pela primeira vez um programa de televisão no país. Pensa só quão incrível foi para aquela geração ver pessoas conversando ou falando com você dentro de um cubo? De lá para cá, a TV (o aparelho e o conteúdo oferecido pelas emissoras) foi obrigada a acompanhar a evolução das tecnologias para seguir adiante.

 

Internet

 

 

Hoje, dificilmente, você faz alguma coisa que não seja pela internet. Pedir um táxi, reservar uma mesa em um restaurante, assistir os primeiros passos do bebê da família, conversar com familiares que estão longe, trabalhar, reservar um quarto num hotel... a lista é enorme. Mas se você faz tudo isso hoje, agradeça a dois caras que a partir de 1989 começaram a mudar a principal funcionalidade da internet.

 

Na década de 1960, quando a internet foi inventada, aquela que um dia foi chamada de “rede mundial dos computadores” servia como uma rede de comunicação de acesso exclusivo aos americanos, principalmente entre cientistas e engenheiros que precisavam definir suas estratégias durante a Guerra Fria. O uso da ferramenta diminuiu, conforme as tensões entre EUA e União Soviética perderam força. Até que em 1989, o engenheiro inglês Timothy John Berners-Lee propôs a criação do sistema World Wide Web (WWW), com o belga Robert Cailliau. Juntos, os dois plantaram as sementes para que a internet se desenvolvesse como a conhecemos hoje.

 

Tênis de corrida

 

 

Se a corrida é uma prática esportiva cada vez mais popular devemos um pouco a um tênis antigo chamado The Trackster. Fabricado na década de 60 pela New Balance, ele foi o primeiro tênis de corrida vendido em vários números e tamanhos para atender a maior quantidade de consumidores. Até então, o calçado para todas as situações era o sapato. Foi a partir da recepção positiva ao Trackster que as fabricantes entenderam que havia um segmento para ser explorado.

 

Diretas Já

 

 

Em todo ano par você vai às urnas para escolher prefeito, vereador, deputados (estadual e federal), senador, governador e presidente para um novo ciclo político. Hoje, você só pode fazer isso porque houve quem lutasse para recuperar o direito de o brasileiro poder decidir os rumos do país. As Diretas Já (1983 e 1984) representam um capítulo importante na história da política do Brasil. O movimento social reuniu milhões de brasileiros para pedir eleições presidenciais pela primeira vez em quase 20 anos com a participação direta da população. As Diretas foram parcialmente bem-sucedidas, já que as eleições convocadas em janeiro de 1985 foram indiretas – um colegiado formado por políticos escolheu Tancredo Neves para a presidência. Mas o movimento foi fundamental para transformar o sistema político e sedimentar o modelo eletivo que segue em vigência.

 

Crédito da imagem: Nelson Jr./ASCOM/TSE

 

E-commerce

 

 

Hoje, o comércio eletrônico nacional é tão simples quanto ir até uma loja física, mas na época do empresário Ricardo Jordão dá para brincar que o segmento era “só mato”, aproveitando uma expressão comum quando o assunto são os primórdios da internet. Jordão foi uma espécie de desbravador do e-commerce brasileiro com a criação, em 1996, da versão virtual de sua loja, a Brasoftware, que existe até hoje. A empresa de Tecnologia da Informação foi seguida por companhias de diferentes atuações nos anos seguintes, contribuindo para erguer o mercado de e-commerce no Brasil.

 

Walkman

 

 

Gosta de ouvir um som só com as músicas que você gosta num aparelho que cabe no seu bolso? Então, preste reverências ao japonês Nobutoshi Kihara (ele teria 91 anos se estivesse vivo). Foi ele quem coordenou a criação do primeiro Walkman para a Sony ainda em 1979. No auge de popularidade, esse objeto foi artigo essencial entre os que não vivem sem música. O tocador caiu em ostracismo à medida que a fita cassete foi sendo substituída por novas mídias, porém inspirou o Discman, tocadores de MP3, iPods e celulares.

 

Primeiro videogame

 

 

Ralph Baer queria criar uma televisão interativa. Em vez disso, o engenheiro inventou o primeiro aparelho de videogame caseiro em 1966, quando essa área ainda era insipiente. Mas o passo fundamental veio da fabricante japonesa Atari, cultuada até hoje pelos fãs mais nostálgicos. Fundada em 1972 pelos também engenheiros Nolan Bushnell e Ted Dabney, a empresa lançou o primeiro videogame comercializado em lojas e responde pelos capítulos iniciais da popularização dos games.


Compartilhe:

0 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação