Como se preparar para vender pela internet

Descubra o que não pode faltar no seu planejamento para empreender com sucesso no digital

16/10/2019



Em 2018, o número de brasileiros que acessam a internet chegou a 129 milhões de pessoas, ou seja, 70% da população, segundo a pesquisa TIC Domicílios, realizada pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic). Nas cidades, esse número sobe para 74%. Se o público está cada vez mais conectado, por que o seu negócio não deveria estar?

 

Tem gente que pensa em já abrir um negócio virtual de cara — e tem quem queira migrar para a rede uma empresa que já existe ou usar a web para oferecer os seus serviços.

 

O fato é que p empreendedorismo na internet exige tanta preparação quanto abrir uma empresa física. 

 

 “O planejamento é um pouco diferente”, afirma David Kallás, professor de Estratégia e coordenador do Centro de Estudos em Negócios do Insper, ao Viva a Longevidade. “No digital, você consegue atender um público mais segmentado. Quanto mais específico o foco, mais fácil é encontrar uma necessidade que ninguém está atendendo.”

 

Para se dar bem nesse mercado, é importante começar a se familiarizar com o mundo da tecnologia. “Experiência com internet todo mundo tem, mas é preciso se preparar porque existem muitos recursos tecnológicos para todas as etapas do negócio, como bases de dados, softwares de métricas e ferramentas de anúncios online”, afirma Kallás.

 

Fernanda Nascimento, estrategista digital com foco na experiência do cliente, concorda. “É preciso, ao menos, conhecer as ferramentas e entender a sua lógica, para poder conversar com os profissionais mais técnicos e cobrar resultados”, diz.

 

“Eu mesma fiz vários cursos antes de abrir minha agência de marketing digital”, completa Nascimento, fundadora da Stratlab e integrante da Rede Mulher Empreendedora.

 

É muito difícil que os empreendedores entendam de tudo que um negócio digital requer — como design digital, cobrança de frete, análise de fraudes e compra de anúncios (veja mais no infográfico abaixo).

 

Por isso, quem empreende nessa área vai ter que formar uma equipe com sócios ou profissionais que detenham esses conhecimentos ou terceirizar algumas dessas funções.

 

“É preciso ser capaz de lidar com pessoas tecnicamente bem-capacitadas”, alerta Fernanda. “Saber se relacionar bem com elas é uma qualidade importante.”  

 

Por outro lado, entender de números também pode fazer a diferença no mercado online.

 

“O ambiente digital permite fazer experiências para testar hipóteses. Quem acompanha os resultados de cada ação, como uma promoção, por exemplo, sabe o que está dando certo e antecipa o que é mais promissor para o negócio”, diz Kallás.

 

Empreendedorismo em qualquer idade

 

E será que tem idade para empreender no mundo digital? Fernanda acredita que não. “Imagina, eu comecei com 42 anos”, afirma.

 

“Os jovens podem ter mais familiaridade com a internet, mas nem sempre entendem de negócios. A experiência profissional joga a favor de quem é mais experiente.”

 

Boas oportunidades não faltam, mas é preciso se preparar para aproveitá-las. Veja, a seguir, as dicas dos especialistas para fazer um bom planejamento e empreender com sucesso no mundo digital.

 

 

 

 

PROGRAMA LONGEVIDADE 2019

 

Inovação, tecnologia e empreendedorismo aliados à longevidade. Essa é a proposta do Programa Longevidade 2019, apresentado pela Bradesco Seguros: integrar e capacitar o público sênior, com o objetivo de criar uma rede de inclusão empreendedora. Isso tudo com uma série de workshops e palestras sobre a temática voltada ao público 50+. Toda as atividades (palestras e workshop) são gratuitas, e as inscrições devem ser feitas pela internet.

 

Mais informações? Acesse o site da Unibes Cultural.

 

Veja outras matérias relacionadas ao Programa Longevidade 2019 já publicadas no Viva a Longevidade.


Entrevista com Dudu Balochini, do Senior Geek: “Os seniores precisam entrar na conversa digital.”


Entrevista com Mórris Litvak, do Maturijobs: “É preciso abrir a cabeça e sair do emprego tradicional.”


Entrevista com Fabio Ota, do ISGame: “Videogame não é só para criança
.”


Inspire-se com esses 60+ que estão se reinventando
.


Compartilhe:

0 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação