“Desafie seu cérebro a aprender coisas novas”

“Desafie seu cérebro a aprender coisas novas”

O professor Pedro Calabrez explica o que fazer para manter uma mente saudável e ativa com o passar dos anos

20/10/2017



Receita da mente saudável

“A primeira coisa é praticar atividades físicas regularmente. Além disso, uma alimentação saudável. Em terceiro lugar, mas não menos importante, o sono.”

 

E para manter o cérebro ativo?

“A ideia é que manter o cérebro ativo do ponto de vista psicológico é justamente aprender coisas novas. Se você nunca fez palavras cruzadas, faça, porque é bom. Mas, no momento que você aprendeu e se adaptou às palavras cruzadas, aprenda algo novo.”

 

Novas estradas, novas conexões

“Para manter a nossa mente ativa, é preciso a estar o tempo inteiro construindo novas estradas no nosso cérebro, novas conexões, aprendendo coisas novas, desafiando nosso cérebro com a coisas que não sabíamos antes.”

 

Conhecimento para mudar

“Conhecimento sem ação é vazio. Nunca tivemos tanto conhecimento a respeito da importância da alimentação saudável e da atividade física regular, mas as pessoas não estão emagrecendo, não estão se alimentando melhor bem se exercitando a ponto de os números relativos à saúde melhorarem. O conhecimento está aí, mas ele só serve quando muda a forma como você age.”

 

 

Enfrente a acomodação

“A consistência do que é aprendido é muito mais importante do que a intensidade. Temos dois grandes inimigos do processo de aprendizagem: o mundo veloz, que quer tudo instantaneamente, e a acomodação. Todos nos adaptamos.”

 

Curva do bem-estar

“A gente esquece de ensinar as pessoas a aproveitar o instante enquanto ele ocorre. E por conta de investirmos toda a nossa energia no ‘eu projetivo’, em algo que se está pensando para o futuro ou que se viveu no passado, a nossa satisfação com a vida vai diminuindo até chegar ao ponto crítico, por volta dos 40 e 50 anos, quando você já conquistou aquilo que imaginou que lhe faria feliz e se adaptou ao que não conseguiu.”

 

Retomada da satisfação

“Parece que, depois dessa idade, as pessoas passam a valorizar o ‘eu experiencial’, como se descobrissem que precisam saborear o momento, aproveitar a vida enquanto ela está acontecendo. Não é que um idoso deixe de se orgulhar do passado ou de pensar no futuro. É que ele percebe que o mais importante para a saúde é o equilíbrio.”

 

Abrace o diferente

“Se você quer estar com a mente ativa, lute contra sua vontade. Nossa tendência é querer informações aderentes às nossas crenças. Temos de abrir os braços para a diferença, conversar com quem pensa diferente, aprender algo sem relação com o que fazemos. É construir constantemente novas estradas porque a acomodação é morte.”

 

 

Assista a palestra na íntegra:

 


Compartilhe:

4 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação

Comentários recentes:

Heinz Rode

10 de setembro de 2018

Palestra muito boa. Ótima para nosso grupo de homens LELUT-PAZ