Diálogos da Longevidade: como estamos nos preparando para envelhecer?

Diálogos da Longevidade debate como vivem (e viverão) os brasileiros com mais de 50 anos

25/04/2019



Quem são os brasileiros que têm mais de 50 anos — e como estamos nos preparando para viver a nossa maturidade? Essas foram algumas das questões levantadas no evento “Diálogos da Longevidade”, promovido pela Bradesco Seguros em São Paulo, no dia 24 de abril.

 

A reflexão sobre como estamos nos preparando para envelhecer permeou a fala dos três convidados do evento: Jorge Nasser, diretor-presidente da Bradesco Vida e Previdência e da Bradesco Capitalização; Alexandre Kalache, médico gerontólogo e colunista do Viva a Longevidade; e Renato Meirelles, presidente do Instituto de Pesquisa Locomotiva.

 

 

 

Quiz da Longeratividade

> Você sabe quem são os brasileiros 50+?
Clique e faça o teste

> Você conhece o maior mercado consumidor do Brasil?
Clique e faça o teste

> Quais são os desafios da longevidade?
Clique e faça o teste

“A longevidade não é um tema do futuro, e sim do presente”, disse Nasser na abertura do evento. “Não estamos nem mais discutindo se vamos viver mais, e sim com que qualidade vamos viver mais”, completou, citando que entre 2000 e 2018 a média de expectativa de vida do brasileiro aumentou seis anos, chegando a 76 anos.

 

“Essa é a revolução da longevidade”, concordou Kalache em sua fala, referindo-se ao rápido crescimento da expectativa de vida no Brasil. Em 1940, exemplificou, uma mulher de 65 anos viveria mais quatro anos, seguindo a expectativa de vida da época. “Hoje, ela pode esperar viver mais 11. Muita coisa mudou, e a gente precisa mudar junto.”

 

Hoje, sete em cada dez brasileiros acham que viverão 80 anos ou mais, afirmou Meirelles ao apresentar os resultados da pesquisa Longeratividade, realizada pelo Instituto Locomotiva, que buscou traçar um perfil dos brasileiros com mais de 50 anos.

/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)
/ Diálogos da Longevidade (Fabio Salles)

Segundo Meirelles, os brasileiros 50+ representam, hoje, uma população de 54 milhões de pessoas que têm uma renda de R$ 1,8 trilhão por ano para gastar. Até 2050, esse grupo deve atingir a marca de 98 milhões de pessoas, ou seja, 43% dos brasileiros. “É uma mudança gigantesca para três décadas”, pontuou.

 

Por enquanto, os brasileiros mais velhos estão contentes com o envelhecimento. Entre os entrevistados na pesquisa, 70% se dizem satisfeitos com seu estilo de vida, 73% consideram que têm muitos amigos e 92% têm orgulho do que conquistaram na vida.

 

"Se é verdade que eu vou viver mais, de que forma eu vou viver mais? Não adianta ter qualidade de vida se eu não tiver como garantir essa qualidade de vida"

Jorge Nasser

Os entrevistados com mais de 50 anos também revelaram ter diversos planos para o futuro, como viajar (resposta de 52%), trabalhar (40%), empreender (38%), mudar de casa (24%) e estudar mais (20%).

 

Eles também citaram os desafios de envelhecer, como enfrentar preconceitos por causa da idade — uma situação mencionada por 74% dos entrevistados—e o seu maior medo, que é o das mudanças que o corpo vai sofrer nesse processo. “Esse medo supera, por exemplo, o medo da solidão e o de ficar sem dinheiro”, diz Meirelles.

 

Ele chamou a atenção para a preparação financeira para a velhice, pois 65% dos entrevistados disseram não ter dinheiro guardado para essa fase da vida, enquanto 69% dos 50+ afirmaram estar em uma situação financeira menos confortável do que imaginavam.

 

Tanto é que, se pudessem voltar no tempo, os mais velhos teriam mais cuidado com a saúde e guardariam mais dinheiro, aponta a pesquisa. Para Meirelles, isso indica uma necessidade de reflexão sobre como estamos planejando a nossa velhice. “O quanto estamos preparados para envelhecer no mundo que estamos construindo hoje?”

 

Veja como foi o Diálogos da Longevidade


Compartilhe:

2 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação

Comentários recentes:

jose mario

27 de abril de 2019

quero receber informações, grato!

Viva a Longevidade

04 de junho de 2019

Olá, Jose Mario

 

Cadastre-se no rodapé desta página para receber, no seu e-mail, conteúdos e dicas importantes para viver mais e melhor.

 

Obrigado.
Equipe Viva a Longevidade.