Brasileiras criam sorvete especial para quem faz quimioterapia

Enriquecido com proteínas e fibras, ele ajuda a nutrir o corpo e amenizar o mal-estar

17/10/2018



Quem passa por quimioterapia para tratar um câncer em geral sente dificuldade para se alimentar por causa de alguns efeitos colaterais do tratamento, como náuseas, feridas na boca e sensação de estar com a boca seca.

 

Pensando em tudo isso, uma equipe de pesquisadoras da Universidade Federal de Santa Catarina desenvolveu um sorvete especial, que alivia esses problemas e atende às necessidades nutricionais do paciente, informa a BBC Brasil.

 

 

"Pensamos em algo que fosse aplicável no dia a dia dos pacientes para amenizar os sintomas mais decorrentes do tratamento quimioterápico. Realizamos uma pesquisa bibliográfica e detectamos que um alimento gelado atenderia a todos esses requisitos", explica a nutricionista Paloma Mannes, autora do trabalho.

 

Sua primeira ideia era fazer um geladinho caseiro, mas uma fabricante de sorvetes de Florianópolis se interessou pela ideia e decidiu produzi-lo. Elas decidiram criar um sorvete porque, ao analisar estudos sobre o tema, descobriram que ele é um dos principais desejos alimentares de quem faz quimioterapia, ao lado de frutas e sucos.

 

A receita desse sorvete é um pouco diferente: ele é enriquecido com uma fibra, a polidextrose, tem proteína isolada de soro de leite (o whey), azeite de oliva, e é adoçado com açúcar orgânico. Por isso, tem mais calorias do que a versão que conhecemos, é fonte de proteínas de alta qualidade e de fibras e possui baixo teor de gordura. Os sabores, no entanto, são tradicionais: morango, chocolate e limão.

 

A pesquisadora explica que o produto foi criado para contemplar não só as necessidades nutricionais, mas também as sensoriais. A equipe pensou em um sorvete que reduzisse os efeitos colaterais da quimioterapia para colaborar com um tratamento mais humanizado. "Durante o tratamento, o paladar fica alterado, e são inúmeras as queixas de falta de apetite", diz.

 

Marcella Cunha, que há alguns meses faz quimioterapia para tratar um linfoma de Hodgkin, vem tomando o sorvete todo dia e aprovou. "É muito gostoso, refrescante, alivia minhas dores e irritações no sistema digestivo e me dá prazer ao enfrentar momentos de mal-estar”, conta. “Por ser um suplemento alimentar, me ajuda a não perder peso e a vencer a fraqueza, pois muitas vezes não consigo me alimentar, por causa do inchaço na garganta e das irritações estomacais.”


Compartilhe:

0 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação