Ficar uma hora no trânsito é como fumar cinco cigarros

Poluição atinge mais as pessoas que usam ônibus e moram longe do trabalho, aponta estudo

21/06/2019



Para quem vive em São Paulo, passar uma hora no trânsito equivale a fumar cinco cigarros, informa a Folha de S.Paulo. É o que mostra um estudo feito pela Universidade de São Paulo, publicado na revista Environmental Research e apresentado na ONU (Organização das Nações Unidas).

 

O estudo combinou análise de dados da população, 413 autópsias realizadas para avaliar o estado do pulmão das pessoas falecidas e questionários com seus familiares para entender seu estilo de vida --e quantas horas essas pessoas gastavam no trânsito para ir de casa ao trabalho.

 

 

Os pulmões foram avaliados para quantificar o depósito de carbono resultante da inalação repetida de poluentes, partículas de fumaça ou de carvão. Essas partículas podem ficar retidas no pulmão; em geral não fazem mal, mas podem evoluir para doenças como a fibrose.

 

Apesar de os níveis de poluição na capital paulista serem maiores no centro da cidade, onde há mais trânsito, as pessoas que mais concentraram poluentes nos pulmões foram as que moravam na periferia e passavam mais tempo no deslocamento para o trabalho.

 

"As pessoas que viajam mais para trabalhar não só concentram mais doses de poluição como também são as que mais morrem por diabetes, infarto ou AVC. Juntam-se, aí, duas vulnerabilidades", comenta Paulo Saldiva, diretor do IEA (Instituto de Estudos Avançados) e um dos autores do trabalho.

 

Um outro estudo feito em São Paulo mostra que as pessoas que andam de ônibus estão mais expostas aos poluentes emitidos pelo diesel do que as que andam de carro. Para Maria de Fatima Andrade, professora do departamento de meteorologia e ciências atmosféricas da USP, uma maneira de melhorar esse cenário é a adoção de meios de transporte mais limpos, como ônibus elétricos, especialmente nos trajetos mais longos.


Compartilhe:

0 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação