Má alimentação mata mais do que tabagismo

Uma em cada cinco mortes no mundo poderia ser evitada se as pessoas comessem melhor, aponta estudo

08/04/2019



Comer mal pode ser mais nocivo para a saúde do que fumar, aponta um novo estudo publicado no periódico Lancet, informa o The Guardian. Em 2017, a má alimentação causou 22% das mortes de adultos no mundo –isso corresponde a 11 milhões de pessoas, contra 8 milhões que morreram devido ao tabagismo e 10,4 milhões vitimadas pela hipertensão.

 

O maior problema não é comer um hambúrguer ou uma pizza de vem em quando, afirmam os pesquisadores, e sim não colocar no cardápio alimentos nutritivos. Por isso, eles acham necessário desenvolver uma política pública global para incentivar as pessoas a comer mais vegetais, frutas, castanhas e legumes.

 

 

O estudo mostra que em quase metade dos casos (45%) a morte aconteceu antes dos 70 anos. Exagerar no sal e não comer frutas e vegetais é um hábito relacionado à metade das mortes e a dois terços das doenças relacionadas a uma má alimentação. Os maiores fatores de risco são consumir muito sal, carne vermelha e bebidas adoçadas e poucos grãos, frutas, castanhas, sementes, vegetais, peixes e leite.

 

Infartos e derrames são as causas de morte mais relacionadas a uma dieta não saudável, seguidos por tumores e diabetes tipo 2. Por isso, o estudo conclui que comer e beber melhor poderia prevenir uma em cada cinco mortes no mundo.

 

Países que adotam a chamada "dieta do Mediterrâneo", em que as pessoas comem mais frutas, vegetais, castanhas e legumes, são os que têm menos mortes relacionadas a uma má alimentação. É o caso, por exemplo, de Israel, França, Espanha e Japão.

 

Para os autores do estudo, mais importante do que convencer as pessoas a cortar açúcar, sal e gordura é promover o consumo de alternativas mais saudáveis. "As pessoas costumam fazer substituições. Quando aumentam o consumo de algum alimento, cortam o de outro", afirma Ashkan Afshin, principal autor do estudo.


Compartilhe:

0 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação