Piora do olfato pode sinalizar doenças na velhice

Estudo relaciona a perda da capacidade de sentir cheiro a demência, Parkinson e doenças renais

25/06/2019



Muita gente acha que o olfato não é lá o nosso sentido mais importante. Mesmo assim, é bom que ele esteja afiado, porque a perda dessa capacidade pode sinalizar algumas doenças, informa o blog da Escola de Medicina de Harvard (conteúdo aqui, em inglês).

 

A perda do olfato pode ser um sinal de sinusite, tumor sinusal e até mesmo de doenças neurológicas, como a esclerose múltipla. Além disso, um estudo recente aponta que existe uma relação entre a perda do olfato e doenças no futuro.

 

 

Ao testar o olfato de 2.300 idosos, os pesquisadores descobriram que quem estava com esse sentido em piores condições tinha mais chances de ter demência, Parkinson e doenças renais --e maior probabilidade de morrer devido a problemas cardiovasculares.

 

Curiosamente, o olfato foi o fator preponderante de previsão de morte nas pessoas que estavam mais saudáveis no início do estudo. Esses achados confirmam resultados de pesquisas feitas anteriormente, mas ainda não se sabe exatamente qual é o peso do olfato no desenvolvimento dessas doenças.

 

Já se sabe, por exemplo, que as pessoas que não sentem bem os cheiros têm maiores chances de ter Parkinson ou Alzheimer. A explicação para isso ainda não é clara; uma possibilidade é a de que a perda do olfato seja uma indicação precoce dessas condições.


Compartilhe:

0 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação