Resíduo de cigarro também prejudica a saúde das crianças

Mesmo quando não há ninguém fumando, elas são afetadas por substâncias tóxicas impregnadas em roupas e objetos

18/09/2018



Para proteger a saúde das crianças dos malefícios causados pelo cigarro, não basta deixar de fumar na presença delas. Um novo estudo mostra que elas podem ter contato com resíduos tóxicos da fumaça e da nicotina mesmo quando ninguém está fumando, informa o The New York Times.

 

A fumaça do cigarro contém 4.000 substâncias químicas, muitas delas nocivas à saúde --50 delas, por exemplo, causam câncer. Quando alguém fuma em um ambiente, os resíduos da fumaça se acumulam não só em sua pele e em sua roupa, mas também na poeira, em objetos e nas superfícies.

 

 

"Nossos achados indicam que as crianças carregam nas mãos tóxicos da fumaça do cigarro mesmo quando não há ninguém fumando ao redor", explica Melinda Mahabee-Gittens no periódico Tobacco Control. Nesse estudo, os pesquisadores encontraram, por exemplo, indícios de altos níveis de nicotina nas mãos das crianças cujos pais eram fumantes.

 

O problema é que elas podem transferir essas substâncias da mão para a boca e para o resto do corpo. E, como passam mais tempo do que os adultos em ambientes fechados, aumenta o risco de desenvolver complicações relacionadas a esse tipo de exposição aos resíduos deixados pelo cigarro.

 

Crianças que convivem com fumantes têm risco elevado de desenvolver infecção no ouvido, tosses e resfriados, bronquite e pneumonia, afirma a American Academy of Pediatrics. Elas também têm maior probabilidade de ter nariz entupido, dor de cabeça, dor de garganta, irritação nos olhos e dificuldade de se recuperar de infecções respiratórias.

 

Em longo prazo, a exposição à fumaça do cigarro pode prejudicar o desenvolvimento dos pulmões e, mesmo que elas nunca venham a fumar, aumenta o risco de desenvolver doenças cardíacas, câncer de pulmão, catarata e artrite reumatoide.


Compartilhe:

0 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação