Que tipo de endividado é você?

Que tipo de endividado é você?

Reconhecer o seu perfil pode ser um bom começo para corrigir a rota para a construção do seu patrimônio

11/02/2019 - por Mara Luquet



Quando o assunto é dívida, podemos tomar emprestado o clássico Anna Karenina, do escritor russo Liev Tolstói: “Todas as famílias felizes são parecidas, as infelizes são infelizes cada uma à sua maneira”.

 

Não é exagero dizer que a dívida tem um potencial devastador para as famílias e, por isso, todo o cuidado é pouco, quando pisamos nesse campo minado. Mas cada endividado caiu nessa armadilha por alguma peculiaridade. Reconhecer o seu perfil, quando o assunto é dívida, pode ser um bom começo para refletir sobre suas finanças e corrigir a rota para a construção do seu patrimônio.

 

Então, vamos lá. Que tipo de endividado é você?


Sonhador

Não tem a menor noção do quanto ganha, do quanto gasta e do preço que está pagando para realizar seus sonhos. Nunca ninguém disse a ele que o dinheiro é finito, mas também não adiantaria muito dizer, porque ele não acreditaria. Seu compromisso é apenas com a realização dos seus desejos, dos seus sonhos de consumo.


Iludido

Por não estar com nenhuma prestação atrasada, acredita que não está endividado. Não consegue nenhuma sobra do salário, o dinheiro vai todo para pagar prestações e, se algum imprevisto ocorrer, todo o seu castelo de cartas (de crédito) desaba.


Otimista

Tem certeza de que as expectativas são melhores que a realidade. Por isso, não se preocupa em traçar uma estratégia para resolver o problema do endividamento, já que acredita firmemente que sua situação futura será melhor do que a atual.


Generoso

Cai na armadilha do endividamento, porque “emprestou” o nome a parentes e amigos. É a principal razão que leva muitas pessoas a ter o nome no cadastro de inadimplentes, pois, na maior parte das vezes, a dívida não é paga. Lembre-se sempre de que, se alguém está impossibilitado de tomar crédito, é porque tem restrições cadastrais, o que significa que seu perfil de risco é alto, seja por falta de renda, por inadimplência ou por qualquer outro fator que indique que não pode tomar aquela dívida.


Sortudo

Acha que vai ganhar uma herança ou um prêmio na loteria, ou simplesmente que o dinheiro cairá do céu para pagar suas dívidas. Conta com a sorte, para resolver todos os seus problemas, e com as dívidas não será diferente. Por isso, não se preocupa em traçar uma estratégia para livrar-se do problema.


Inexperiente

Foi a primeira vez que teve acesso aos canais de endividamento, seja cartão de crédito, cheque especial, crédito direto ao consumidor (CDC) ou qualquer outro instrumento. E, por não ter as informações corretas para se endividar, acabou sendo atropelado pelo rolo compressor do superendividamento.


Arrojado

Acredita que conseguirá resolver seu endividamento com outras dívidas. Incorpora o limite do cheque especial e do cartão de crédito na renda, achando que essa dívida faz parte do seu caixa. Não se dá conta de que a dívida reduz sua liquidez futura.


Artista

Faz acrobacias financeiras, tomando uma dívida para pagar a atual e fazendo um giro financeiro como em uma bicicleta. Para conseguir manter o equilíbrio, ele não pode parar de pedalar, mas isso fatalmente ocorre quando a fonte para o endividamento seca e não consegue mais tomar crédito em nenhuma modalidade ou instituição.


Desinformado

Não conhece os custos e os formatos de cada linha de crédito, por isso, frequentemente toma o financiamento errado para as suas necessidades. Por exemplo, é capaz de financiar uma festa de casamento com cartão de crédito ou cheque especial, tendo à disposição crédito consignado. Morre de medo de financiamento de médio e longo prazo, mas não se assusta com as altas taxas de crédito de curto prazo e sem garantias.


Desorganizado

Não faz a menor ideia das razões que o levaram ao endividamento. Não sabe quanto deve, tem apenas uma vaga noção de quem são os credores e desconhece totalmente sua capacidade de pagamento. Não sabe quanto ganha, quanto somam suas prestações e, nem mesmo, se haverá um final para sua história de endividamento. Simplesmente não pensa no assunto.

 

E aí? Conta para gente nos comentários: descobriu que tipo de endividado é você? E o que é que você vai fazer para sair dessa armadilha?

0 Perguntas:

Pergunta enviada
para aprovação


Compartilhe: