Você talvez não pare nunca

No século da revolução do aumento da expectativa de vida, talvez você não consiga juntar o suficiente para parar de trabalhar por completo. E isso pode ser muito bom

06/01/2020 - por Mara Luquet



“Você não conseguirá parar nunca!” A frase, em tom de advertência, era um alerta para a necessidade de acumular mais e mais dinheiro para a aposentadoria e, principalmente, reduzir as amarras do custo fixo, para tornar mais leve o fardo de se financiar na maturidade.

 

Foi bem-intencionada. Mas, você sabe, de boas intenções está cheio o cofre dos planos para o futuro, em geral, vazio de decisões práticas que vão efetivamente melhorar a sua saúde, o seu bem-estar, os seus relacionamentos, o seu trabalho e o seu bolso.

 

 

O aumento da expectativa de vida está cheio de desafios. Viver muito parece bom, o problema é que são tantas as advertências e exigências no presente, que se planejar vira um fardo, e você passa adiar o início do seu bem-estar indefinidamente.

 

E sente-se culpado. Desanimado, por achar que por mais que tenha feito o máximo, nunca será suficiente.

 

Está aí um risco que você não precisa correr: deixar de aproveitar o presente, contemplando apenas o futuro.

 

Aproveite o presente sem se descuidar do futuro

Sim, pois cada gasto supérfluo, cada pequeno prazer a que você se permite pode vir carregado de tamanha culpa, que acaba por destruir toda e qualquer felicidade nele presente. Passa-se a adiar a fruição da vida indefinidamente.

 

E, caso se deixe vencer por uma pequena atitude hedonista, sente-se culpado, fraco. Ou seja, você acaba vivendo o presente no inferno, à espera do paraíso no futuro.

 

Por isso eu lhe digo: o melhor caminho é o do meio; aproveite o presente, sem se descuidar do futuro.

 

Para viver o futuro você precisa começar agora

 

Como fazê-lo? Para começar, reduza o seu custo fixo, composto pelas despesas que se repetem todos os meses.

 

Repare que esses custos sempre existirão, agora e no futuro. E se domá-lo agora, chegará ao futuro com esse problema resolvido.

 

Reduzir o custo fixo vai lhe dar uma liberdade financeira maior do que se tivesse acumulado alguns milhões.

 

Muitos milionários estão às voltas com tantas despesas obrigatórias, que mal conseguem desfrutar as delícias de não se preocupar com pressões financeiras.

 

A redução do seu custo fixo é o começo de tudo, porque vai lhe exigir menos recursos no futuro e, no presente, vai proporcionar uma sobra, mesmo que pequena, para você dar o pontapé inicial nos seus investimentos.

 

Portanto, nada de radicalismos.

 

Hábitos financeiros equilibrados, que lhe permitam desfrutar o presente e planejar o futuro, tendem a dar resultados mais sustentáveis no longo prazo.

 

Viver dessa forma, equilibrando as suas escolhas, talvez não lhe permita juntar milhões, mas lhe dará tranquilidade para ir pavimentando a sua independência financeira, com saúde e bem-estar.



A independência financeira está mais atrelada a fazer o que se gosta que a parar de trabalhar

No século da revolução do aumento da expectativa de vida, talvez você não consiga juntar o suficiente para parar de trabalhar por completo.

 

Assim, a aposentadoria, no sentido clássico, deixa de existir.

 

É, talvez você não pare nunca, e isso será maravilhoso.

 

Mas você poderá estar vivendo onde quiser, com quem quiser e fazendo o que quiser. O nome disso é liberdade, e você não precisa esperar o futuro chegar.

 

Comece agora.

0 Perguntas:

Pergunta enviada
para aprovação


Compartilhe: