A linda relação entre avós e netos

A linda relação entre avós e netos

Ainda hoje sinto por perto a presença da minha avó Miná: uma raiz que sobe às estrelas e explode em flores.

26/07/2019 - por Márcia Peltier



Quando eu soube que havia um dia dedicado aos avós, fiquei intrigada. Todo avô ou avó é pai ou mãe, então, pra que um dia para os avós? Mas aí nasceu meu primeiro neto. E vi que há uma galáxia de diferenças. Avô, avó... A sabedoria popular tem toda a razão: somos pai e mãe com açúcar!

 

Com açúcar, com sabedoria e com exemplo. Minha avó e madrinha, Miná Bulcão Ribas, foi uma inspiração para mim. Era linda – e só começou a expressar sua veia poética depois que ficou viúva, aos 56 anos.

 

 

Incrivelmente vibrante, calorosa, transformou-se em poetisa respeitada. Declamava seus poemas em saraus aos sábados, em sua casa. Poemas filosóficos e existenciais, e nada piegas, muito pelo contrário! O seu livro Uma Rosa na Lua foi elogiadíssimo. Mulher à frente de sua época, começou a dirigir em 1920. Que exemplo para mim.

 

Minha relação com ela era tão forte que nossos laços não se desfizeram nunca – nem hoje, nem quando sofreu um derrame e ficou em coma, aos 86 anos.

 

Trabalhando em São Paulo, não pude voltar para acompanhá-la, mas tinha certeza de que nos despediríamos. E assim foi. Voltei, permaneci ao seu lado e disse ao seu ouvido que era hora de descansar. Naquela madrugada, sonhei que ela ia embora. Vi com clareza o movimento de médicos. Quando minha mãe telefonou, já atendi perguntando: “Por que você não me disse que vovó Miná morreu?” E ela: “Mas estou ligando exatamente para isso...”.

 

Um laço fortíssimo. Ainda hoje a sinto por perto. É minha raiz, uma raiz que sobe às estrelas e explode em flores.

 

 

Outro dia assisti a um programa de TV em que um lindo casal falava de seu amor – e eram 65 anos de relacionamento! Alcimar e Marisa continuavam tão apaixonados um pelo outro quanto no dia em que se conheceram. Tiveram dois filhos – um deles faleceu aos 13 anos, uma tragédia que, contam eles, os uniu mais ainda. Hoje, são verdadeiramente pilares para a família, com duas netas lindas que adoram o casal. Luiza, advogada carioca de 25 anos, dá o seu depoimento:

 

“Nossos avós eram 100% presentes, ajudando os meus pais na construção das carreiras. Com eles, íamos para a escola, a natação, o ballet, o curso de inglês, para tudo. Nunca mediram esforços.”

 

As palavras tropeçam na emoção, mas ela continua:

 

“O que mais aprendo com eles é a ter fé. Eles perderam um filho, um baque tremendo, mas se reergueram, e todo esse amor eles distribuem para todos aqueles que os cercam. Quando me vejo passando por momentos de dificuldade, lembro do quanto eles construíram. Meu avô saiu do Ceará sem nenhum dinheiro, e minha avó sempre foi de família humilde. Venceram todas essas dificuldades, e hoje vivem bem e ajudam toda a família.”

 

Luiza encerra com a constatação de que o amor e a bondade são contagiosos.

 

“É muito raro vermos hoje em dia uma relação assim. No primeiro atrito, pensamos em desistir, mas eles provam o poder da resiliência, da paciência e do amor. E todo esse amor é repassado para a família e pra tantos amigos.”

 

Que Alcimar e Marisa sejam exemplos eternos para todos, apoio e direção para as netas, como Miná continua sendo para mim. Um viva aos avós e ao seu amor doce e sábio!

0 Perguntas:

Pergunta enviada
para aprovação


Compartilhe: