Cada ciclo da vida traz belas lições. Que saibamos acolher e aprender!

Cada ciclo da vida traz belas lições. Que saibamos acolher e aprender!

Recomeços são repletos de esperança. Como você espera que será seu novo ciclo?

16/01/2019 - Por Márcia Peltier



Cecília Meireles, nossa grande poeta, escreveu um dia:

 

“Tenho fases, como a lua

Fases de andar escondida,

fases de vir para a rua...

(...)

Fases que vão e que vêm,

no secreto calendário

que um astrólogo arbitrário

inventou para meu uso.”


Lua Adversa, em Vaga Música (
Global Editora)

 

Cecília foi certeira ao levantar a ideia das fases ou dos ciclos.

 

Pois é: a nossa civilização ocidental acabou enxergando o tempo como um trem seguindo em linha reta. Mas aí chega o fim do ano, por exemplo, e nos vemos de volta à celebração do réveillon, cheios de esperança nesse novo momento. O primeiro dia do ano é repleto de mágica. Cravamos desejos, determinamos metas, sonhamos. Temos um pensamento mágico ligado aos recomeços.

 

E isso é lindo.

 

 

Ciclos, círculos, fases. Primavera, verão, outono e inverno; as marés, a Lua... a natureza vive nos lembrando que tudo começa e recomeça. Há quem diga que as mulheres são mais perceptíveis a esse movimento cíclico, talvez por causa do processo hormonal e reprodutivo. Talvez.



Os ciclos se sucedem e a gente pode se transformar para melhor, com amor e poesia

É assim nos relacionamentos amorosos. Todo amor tem fases incendiárias que vão dando lugar a um afeto mais maduro e sereno. E em cada momento, podemos sentir imenso prazer de estar junto, de recomeçar, de reinventar. É uma questão de carinho e paciência. E de aprendizado permanente.

 

Há outros momentos na vida em que nos sentimos presos a uma situação profissional, emocional, familiar... aí a sensação pode ser a de que aquilo nunca vai acabar. E, quando menos se espera, como ao final de uma noite de tempestade, o azul do céu ressurge. Recomeço.

 

Mas o que me faz sentir bem realmente é perceber que os ciclos se sucedem e que somos capazes de aprender as lições de cada fase, de nos transformarmos para melhor. Um outro grande poeta brasileiro, Gilberto Gil, escreveu em sua música Drão: 

 

Quem poderá fazer aquele amor morrer

Se o amor é como um grão.

Morre e nasce trigo

vive e morre pão”.

 

Que nossos ciclos sejam sempre de aprendizado, amor e crescimento.


Compartilhe:

0 Comentários:

Comentário enviado
para aprovação