Um mundo mais sustentável, um projeto de todos nós

Executiva brasileira é reconhecida como uma das promissoras lideranças em busca de sustentabilidade: inspire-se e faça a sua parte, a humanidade agradece

por Márcia Peltier



Na adolescência, a gente acha que é preciso contestar tudo. O escritor norte-americano Mark Twain, que criava frases geniais, disse uma vez: “Quando eu tinha 14 anos, meu pai era tão ignorante que eu mal suportava ficar perto dele. Mas, quando eu fiz 21, fiquei impressionado com a imensa sabedoria que ele tinha adquirido em sete anos”. Pois é, quando a gente amadurece, descobre que nem tudo é contestação.

 

Mas o bom é chegar a um equilíbrio entre conhecimento tradicional e a busca por inovação. Quando aprendemos a buscar novas ideias, maneiras diferentes e mais eficientes de conseguir: resultados começam a aparecer. No mundo corporativo, está surgindo uma mentalidade aberta a inovações propostas pelos funcionários e colaboradores. Ou seja, mesmo dentro de uma estrutura estabelecida, há espaço para propormos novidades.

 

 

Uma brasileira está nesse movimento. E acaba de ser premiada! Jessica Artioli Centurião e vem propondo ideias afinadas com a sustentabilidade dentro da empresa em que trabalha, a BASF – gigante mundial da indústria química. Inquieta, criativa, ela conta que foi contaminada pelo “bichinho da sustentabilidade” ao entrar em contato com a área de insumos para a indústria de limpeza.



Mesmo dentro de uma estrutura estabelecida, há espaço para propormos novidades

“Comecei propondo mais informação nas fichas dos produtos, para que as indústrias tivessem clareza do perfil sustentável de cada produto”, contou Jessica. “Isso foi mostrando que coisas aparentemente simples, às vezes, promovem grandes mudanças. Ou são o início de transformações.”

 

Desse departamento, ela seguiu para a CasaE, showroom de ferramentas e ideias sustentáveis para a indústria da construção e para arquitetos, em São Paulo. Ali, Jessica trabalhou com inovações, como pisos drenantes – que recolhem e reaproveitam as águas das chuvas. Soluções. Novidades. Criatividade. E recursos naturais poupados. Num ciclo de vida de 40 anos, a CasaE consome 17% menos energia e 64% menos água do que uma residência convencional graças às inovações que lá estão.

 

“Procuro aplicar na vida pessoal e profissional os conceitos de preservação social, ambiental e econômica”

“A empresa que trabalho é uma multinacional que já olha bastante para esse aspecto da sustentabilidade. Mas depende muito das pessoas também. Procuro aplicar na vida profissional e na vida pessoal os conceitos de preservação do planeta, naqueles três pilares — social, ambiental e econômico. Vale a pena insistir”.

 

A curta, mas exemplar, trajetória da Jessica é um lembrete de que, em qualquer estrutura, a gente pode fazer a diferença. Estamos falando de empresas, sim, mas também da família ou de condomínios, por exemplo – seu prédio tem coleta seletiva? Por que não propor? Estar aberto para mudar de hábitos, sugerir novas atitudes... isso vale em qualquer idade. Não se acanhe. Um gesto aqui, outro ali... começamos nesse momento a fazer um futuro melhor para todos.

 

E aí, quem sabe... a gente mesmo vai se admirar como ficamos todos mais sábios!

0 Perguntas:

Pergunta enviada
para aprovação


Compartilhe: