Será que as suas finanças estão bem-organizadas? Pegue a sua planilha, faça o teste e descubra se ela tem tudo o que pede um bom planejamento financeiro.

1

Fiz um planejamento que tem 12 meses (ou mais).

Resposta:

Fazer uma planilha que liste as despesas e os ganhos nos próximos 12 meses é a melhor maneira de prever os gastos sazonais (como pagamento de impostos, viagem de férias, compra de material escolar e de presentes de aniversário) e de se preparar com antecedência para cobri-los sem ficar no vermelho.

Escolha uma opção

2

Na minha planilha, coloquei os gastos fixos (como aluguel) e os variáveis (como alimentação) em ordem de importância.

Resposta:

Classificar os gastos como fixos e variáveis, e colocar no topo da planilha os mais importantes facilita a visualização do que é essencial e agiliza cortes de gastos. Quando for preciso economizar, você pode “cortar pelo pé” e reduzir o gasto com os itens que estão nas últimas linhas.

Escolha uma opção

3

Para definir os gastos variáveis, fiz uma estimativa do que acho que gasto todo mês.

Resposta:

Estimativas de gastos são enganadoras porque tendemos a ser otimistas nessa previsão. Para descobrir quanto você realmente gasta com supermercado, restaurante, transporte, lazer e roupas, é preciso se basear no que está nos extratos do banco e nas faturas de cartão de crédito.

Escolha uma opção

4

Dividi meus gastos variáveis em grandes blocos, como alimentação e lazer.

Resposta:

Classificar as despesas em grandes blocos dificulta a tarefa de descobrir em que exatamente você está gastando o seu dinheiro: no almoço do dia a dia ou no bar com os amigos? É melhor listar todos os gastos feitos em um mês normal e separá-los em categorias menores. Ou seja, nada de listar apenas “alimentação”: é preciso ter uma linha para cada tipo de despesa: supermercado, restaurante, bar, padaria, açougue — e por aí vai.

Escolha uma opção

5

Costumo anotar os meus gastos do dia a dia e checar se estão dentro do que planejei.

Resposta:

A melhor maneira de descobrir onde estão os nossos “gastos-fantasma” — que passam despercebidos no dia a dia, como um táxi ali e um cafezinho acolá — é anotar tudo o que gastamos em um dia. Ou parar uma vez por semana para listar o que gastamos no período usando cartões. Assim fica fácil saber onde estamos gastando mais do que havíamos planejado.

Escolha uma opção

6

Descontando as despesas do valor que eu ganho, o saldo da minha planilha é zero.

Resposta:

É muito arriscado fazer um planejamento no qual não sobra nenhum dinheiro: qualquer imprevisto em um mês pode levar as suas contas para o vermelho. Se não está sobrando dinheiro, é hora de rever os gastos variáveis para descobrir onde dá para economizar.

Escolha uma opção

7

Minha planilha tem um valor estipulado para gastos extras ou de emergência.

Resposta:

Ter uma reserva financeira para cobrir um gasto inesperado é essencial para não ficar no vermelho em caso de despesas imprevistas com saúde ou manutenção da casa, por exemplo. Quem ainda não fez essa reserva deve começar estipulando um valor extra todo mês e ir poupando esse dinheiro até atingir ao menos seis vezes o valor da sua renda mensal líquida.

Escolha uma opção

8

No meu planejamento, defini qual é o valor que quero gastar com meus sonhos e projetos.

Resposta:

Fazer uma grande viagem, voltar a estudar ou comprar uma casa são sonhos que só vão sair do papel se você poupar dinheiro. Defina o valor que você pretende gastar com você durante o ano — e nos anos seguintes — e veja quanto precisa poupar todo mês para colocar os seus projetos em prática. Ainda não está sobrando dinheiro? É hora de rever onde dá para enxugar os gastos variáveis menos importantes.

Escolha uma opção

9

Meu planejamento financeiro contempla quanto devo poupar para a minha aposentadoria.

Resposta:

Quanto mais cedo você começar a reservar dinheiro para a sua aposentadoria, melhor, porque será preciso destinar uma fatia menor da sua renda para isso. Não existe um número que sirva para todo mundo, mas o ideal é dedicar à aposentadoria ao menos 15% do salário líquido.

Escolha uma opção

10

Defini, no meu planejamento, em quanto tempo posso quitar as dívidas que tenho.

Resposta:

Não é uma boa ficar muito tempo no vermelho, gastando dinheiro com juros de dívidas. É preciso pensar em uma estratégia para quitá-las o mais rapidamente possível. Uma das maneiras de fazer isso é somar o valor total, pedir um empréstimo com os juros mais baixos que encontrar, quitar todas as dívidas de uma vez e incluir as parcelas mensais do empréstimo em seu planejamento.

Escolha uma opção

11

Começo a fazer em novembro meu planejamento financeiro do ano seguinte.

Resposta:

O começo do ano concentra gastos importantes (como IPTU, IPVA e despesas escolares), e quem não se prepara para cobri-los pode se endividar e comprometer as finanças nos meses seguintes. Por isso o ideal é fazer um planejamento em novembro, prevendo inclusive a melhor maneira de usar a renda extra do décimo terceiro salário.

Escolha uma opção

respostas
no total.

Mais do que fazer uma contabilidade dos gastos mensais, é preciso planejar o que você sonha. Fazer um planejamento é a melhor maneira de descobrir quais gastos podem ser reduzidos. Navegue pelo tema Finanças e veja mais dicas sobre como começar agora a cuidar do seu dinheiro.

Refazer o quiz

Compartilhe: