A força do poder mental

Para superar os limites que nós mesmos nos impomos, é preciso sonhar com o inalcançável

por Robson Caetano



Tenho falado aqui sobre vários temas interessantes, e tem um que pode fazer toda a diferença na sua vida: a importância do cérebro, do poder mental, para nos levar ao sucesso ou ao fracasso em nossas investidas.

 

Ao longo de anos praticando atividades físicas, vi muitas demonstrações de que nossa mente é extremamente forte – tanto que pode nos derrubar de verdade se não acreditarmos na nossa capacidade. Já vi muitas pessoas, de atletas a empresários, que se sabotam alegando que não conseguem alcançar metas e objetivos simplesmente porque não se acham capazes.

 

Mas, imagine-se fazendo algo que nem sua mente é capaz de alcançar, como no filme “Matrix”. Elevando esses padrões e a sua crença no intangível, você consegue realizar aquilo que muitas vezes nem seu próprio corpo estava preparado para atingir. Vou dar um exemplo: quando corri a prova dos 100 metros e bati o recorde que pertencia a um ídolo meu (Nelson Rocha), isso só foi possível por conta de uma força mental muito grande. O resultado, que era de 10,21 segundos, foi para 10,02 segundos.

 

 

 

Para atingir esse resultado extraordinário, tive de me preparar mentalmente. O corpo já estava treinado para isso, mas minha cabeça não ajudava. O que me atrapalhava era o fator ídolo. Quando resolvi encarar meu ídolo como um adversário e os resultados por ele conquistados como metas, comecei a melhorar minhas marcas. Resolvi colocar meus pensamentos em marcas absurdas, como baixar meu tempo para 9,4 segundos, e comecei a treinar o corpo e a mente para chegar lá.



Já vi muitas pessoas que se sabotam alegando que não conseguem alcançar objetivos simplesmente porque não se acham capazes.

Além de ganhar força mental, eu me superava a cada prova, dando a impressão de ser imbatível no Brasil e na América do Sul. Na verdade, eu só estava acreditando mais do que os meus adversários acreditavam em si e fazendo disso minha base para o sucesso nas pistas. Foi então que resolvi rasgar a minha idolatria por norte-americanos, alemães, russos... Decidi que era hora de eles olharem com respeito pra mim.

 

Assim aconteceu o que eu projetei pra mim, afinal eu não podia perder para um uniforme bonito. Sendo o patinho feio nas pistas, transformei cada uma das minhas entradas nas provas em expectativas de boas marcas.

Um atleta atinge grandes marcas quando desafiado, mas só chega a resultados extraordinários quando acredita na própria superação.

Estudos da Universidade da Califórnia (UCLA) desenvolvidos por um técnico de atletismo chamado Tommie Smith mostram que um atleta atinge grandes marcas quando desafiado, mas só chega a resultados extraordinários quando acredita na própria superação, e não em uma disputa contra adversários.

 

Eu diria que as pessoas que vivem dizendo “eu não vou conseguir” (entre outras desculpas) não têm sucesso exatamente por conta de sua própria sabotagem mental, que faz com que o cérebro receba uma informação e envie a todo o “sistema” um bloqueio, uma defesa para limitar sua atuação.

Eu diria que as pessoas que vivem dizendo “eu não vou conseguir” (entre outras desculpas) não têm sucesso exatamente por conta de sua própria sabotagem mental, que faz com que o cérebro receba uma informação e envie a todo o “sistema” um bloqueio, uma defesa para limitar sua atuação.

 

Em vez disso, deveríamos acreditar mais que é possível sair da cama mais cedo para fazer uma atividade física, que o frio é apenas uma barreira a ser superada, que um edredom ou uma cama quentinha não podem determinar seu sucesso dentro da atividade física.

 

Para mim, o sucesso depende 80% de sua capacidade mental, 10% do seu talento, 5% dos fatores externos e dentro dos outros 5% estão o treinamento e seu aproveitamento. Nada nesta vida terá resultado positivo se não acreditarmos de verdade na possibilidade real de vitória sobre os fatores externos.

0 Perguntas:

Pergunta enviada
para aprovação


Compartilhe: