Quem precisa fazer reforço muscular?

A reposta é: todo mundo. Afinal, só fazemos os nossos movimentos diários porque os músculos protegem e corrigem a postura do nosso esqueleto

04/01/2019 - Por Robson Caetano



Ouço muita gente dizendo que não gosta de fazer exercício de força — ou musculação. Até que chega aquela idade em que achamos que podemos fazer tudo, mas encaramos uma dura realidade quando tentamos realizar uma atividade de alto impacto ou que use mais força do que estamos acostumados (lembrou daquela caixa pesada da mudança de casa que você não teve força para levantar?).

 

Pois uma das coisas mais difíceis para o corpo humano é manter seu nível de força ao longo dos anos. Por isso, é necessário realizar, de forma balanceada, trabalho de força e de resistência muscular.

 

Antes de falar sobre a importância do reforço muscular, preciso explicar para vocês as diferentes “escalas” de força. A valência muscular, como é chamada, varia desde as contrações involuntárias por reflexo (como a que vemos os bebês fazendo), passando pelo esforço de nos mantermos em pé (em que desafiamos a gravidade) até chegar ao máximo, quando enfrentamos a gravidade com sobrepeso para ganhar massa muscular.

 

 

Esse último nível é o mais utilizado por adultos, afinal, é importante manter a capacidade de contração rápida (ou em repetição) do músculo para ganhar resistência. Esse também é o nível recomendado a atletas e pessoas que fazem tratamento para recuperar massa muscular e manter a força física para a sustentação do esqueleto e de toda a estrutura do corpo.

 

Aquecer e alongar

Mais importante ainda é ter consciência de que um músculo aquecido faz muita diferença na hora de executar um exercício. Vou dar um exemplo: estive em uma aula experimental de crossfit, uma atividade de altíssimo impacto e que é preciso preparo adequado. Durante a aula, senti um incômodo em um músculo do peito, bem próximo da axila, depois de me pendurar para realizar uma atividade de transposição em elevação. Tentei fazer isso sem realizar o aquecimento adequado. Conclusão: seis semanas de molho...

 

Eu não respeitei um ritmo que é determinado pelo tempo. Aos quase 60 anos, não posso querer realizar essa atividade da mesma forma que um jovem de 20 anos, que está na fase de crescimento muscular. Na minha idade, tenho minhas limitações e devo respeitar o ritmo do meu corpo.

 

Respeite os limites de seu corpo

Por isso, respeite os limites de seu corpo. É essencial fazer o aquecimento de forma adequada e realizar os trabalhos de iniciação da maneira correta, para que seu corpo se adapte às novas cargas que serão aplicadas. No exemplo que contei, quis realizar a atividade de forma intempestiva e meu corpo sentiu.

 

Falando em cuidados com os músculos, aqui vai mais uma dica: alongue a musculatura. Esse cuidado vai garantir uma, digamos, vida útil maior ao músculo que você gastou tanto tempo trabalhando para ficar forte.

 

Nossa força está diretamente ligada à estrutura esquelética e sua função é proteger e corrigir a postura do nosso esqueleto. Por isso, é muito importante começar a se exercitar desde a infância, de forma lúdica.

 

Um forte abraço!

0 Perguntas:

Pergunta enviada
para aprovação


Compartilhe: