Tome uma atitude e espante a preguiça de treinar no frio

Fazer exercícios no outono e inverno fortalece nosso corpo contra a gripe e nos deixa em forma para o verão

por Robson Caetano



Quando vai chegando o inverno, os dias começam a ficar mais curtos, aquela animação para fazer exercícios já não é tão vibrante como era no calor, as manhãs demoram para esquentar e fica difícil sair do edredom e aproveitar as primeiras horas do dia para treinar – e assim vai por água abaixo aquela promessa que fizemos, na primavera, de chegar em forma no verão.

 

“Só vejo benefícios em fazer atividades físicas no outono e no inverno, como fortalecer o corpo para evitar a gripe, as alergias e a falta de fôlego.”

A pergunta que eu faço é: quando você vai dar o primeiro passo e começar a cuidar da saúde se dedicando a uma atividade física?

 

Quando pensamos nas atividades vitais, logo pensamos em comer – ou ter combustível para fazer o nosso corpo funcionar – tomar banho e trabalhar. E a atividade física? É ela que vai nos dar a força necessária para fazer tudo isso.

 

Queimar esse combustível para fortalecer os músculos faz a gente suar e deixa o banho ainda mais prazeroso. Além disso, se exercitar não é caro, mas cuidar de doenças e problemas de saúde, sim.

 

Só vejo benefícios em fazer atividades físicas no outono e no inverno, como fortalecer o corpo para evitar a gripe, as alergias, a falta de fôlego, e se preparar definitivamente para as épocas mais esperadas do ano: a primavera e o verão.

 

Quer um incentivo? Lá vão algumas dicas de exercícios bem econômicos:

 

Faça uma caminhada

 

Além de arejar a cabeça, sair para caminhar três vezes por semana dá um fôlego e aumenta a disposição. Para quem gosta de fazer exercícios mais vigorosos indico futebol, vôlei ou tênis –  estas atividades melhoram muito o condicionamento físico.

 

Comece a correr

 

Uma corridinha de trinta minutos faz muito bem à saúde. Se você quer variar as caminhadas, intercale com dez minutos de corrida e vá aumentando gradativamente. Caso queira levar mais a sério suas atividades físicas, procure um médico para avaliar se pode, por exemplo, treinar para fazer uma prova.

 

Ande de bicicleta

 

Se você tem uma “magrela”, saía para  pedalar, pelo menos, três vezes por semana. Isso dá ao coração e aos pulmões uma carga de trabalho acima da zona de conforto, bombeando as artérias e eliminando as chances de entupimentos que podem causar ataques cardíacos fulminantes.

 

 

Para a turma da preguiça, fica a dica: enquanto você descansa, tem alguém sendo melhor do que ontem porque saiu meia hora mais cedo da cama para ir pedalando para o trabalho, ou para dar uma corridinha, ou fazer flexões e agachamentos na beira da cama. Viva mais e com saúde: tome uma atitude de campeão!

 

E para você que não dá desculpas e, como eu, encara qualquer clima para fazer a sua atividade física predileta, parabéns! Somos empreendedores da saúde e vamos chegar lá – eu acredito na nossa força mental!

 

Vamos lá: comece agora a investir no seu futuro, dê um chega pra lá na preguiça e tome uma atitude. #comeceagora uma vida nova, com mais disposição para curtir o que a vida tem de melhor para oferecer!

 

Lembre-se: Qualquer dúvida, mande uma mensagem nos comentários. E aguarde os vídeos demonstrativos que fizemos para dar sugestões de exercícios para vocês.

 

Um forte abraço!

3 Perguntas:

Pergunta enviada
para aprovação

Perguntas recentes:

Claudiana

06 de julho de 2018

Tomo medicamentos para ansiedade, e com isso me deprimo e tenho que tomar antidepressivo, tenho transtorno de ansiedade generalizada, queria tanto parar com esses remédios e fazer minhas caminhadas, entrar numa dança, mas não consigo largar o antidepressivo nem o ansiolítico ou que fazer para começar uma nova vida?

Robson Caetano

16 de outubro de 2018

Olá, Claudiana,

O Viva a Longevidade traz matérias e conteúdos que vão ajudá-lo a viver mais e melhor.

Para informações mais específicas, sugerimos procurar um especialista que  possa tirar suas dúvidas com maior propriedade.

Att,

Equipe Viva a Longevidade


Compartilhe: