Você sofre com a ansiedade? O esporte pode ajudar

Fazer uma atividade física pode ser uma espécie de reeducação mental para não sofrermos por antecipação

Por Robson Caetano



Sabe quando aquela vontade de realizar alguma coisa vem junto com a sensação de que não vai dar tempo? Ou que a coisa não vai funcionar, se não for feita naquele momento? Ou a angústia de ter de esperar por algo que não está em seu poder? Pois é, esses são alguns dos sintomas da ansiedade: esse querer antecipar o andamento natural da vida, que pode até acabar atrapalhando tudo.

 

O esporte pode ser um tremendo aliado para reduzir a ansiedade, desde que não haja competição. Competir pode agravar o quadro, pois aumenta o desejo de que chegue logo um momento que tem data e horário específicos e, nesse caso, é preciso trabalhar também com psicólogos.

 

Tommie Smith, professor da Universidade da Califórnia, técnico e campeão olímpico na prova dos 200 metros, descreve, assim, a ansiedade: “Esperei tanto pelo momento do pódio olímpico, que esqueci de aproveitar a minha conquista”.

 

 

Em uma conversa com o próprio Tommie, o atleta disse que estava muito ansioso para o pódio olímpico mesmo: olha que loucura, ele já estava lá antes mesmo de correr a prova! Isso mostra como nossos resultados dependem do quanto conseguimos controlar os momentos de ansiedade. Esse controle fará a diferença no resultado final de sua jornada.

 

O estado de tensão é enorme nas pessoas ansiosas. O que o esporte faz é regular essa necessidade de resolver o que não depende de nós para acontecer. É uma espécie de reeducação mental, para não sofrermos por antecipação. Afinal, ficar ansioso na medida certa pode nos dar uma satisfação plena no momento de uma conquista, desde que passemos por todas as suas etapas de maneira tranquila.

 

O que o esporte faz é regular essa necessidade de resolver o que não depende de nós para acontecer.

Pesquisadores das universidades da Califórnia e de Columbia analisaram a atividade cerebral de ratos, enquanto os roedores percorriam um circuito especial. Alguns caminhos levavam a espaços abertos ou plataformas mais elevadas, ambientes que geram ansiedade nos animais, por aumentar sua vulnerabilidade a predadores. Quando os ratos chegavam a esses locais, os cientistas observaram uma atividade mais intensa em um tipo de neurônio situado no hipocampo, o que seria a “célula da ansiedade”. E concluíram que, quando os ratos fazem atividades físicas lúdicas, os sintomas são menores, diminuindo as doenças do coração.

Fazer um exercício pode ajudar a dar um chega pra lá na ansiedade e a curtir mais a vida. Portanto, tome uma atitude e #comeceagora a se movimentar! E, se você ficou com alguma dúvida, é só mandar a sua pergunta nos comentários aqui embaixo.

 

Um forte abraço!

1 Perguntas:

Pergunta enviada
para aprovação

Perguntas recentes:

Iara Pelegrine

14 de novembro de 2018

Quanto tempo devo andar em segurança? Estou com 63 anos e em tratamento de Câncer de mama.

Robson Caetano

18 de junho de 2020

Olá! Como você está, Iara?

Eu recomendo procurar um médico para fazer uma bateria de testes físicos na esteira, para saber como está a sua capacidade cardiopulmonar. Caso não seja possível, realize caminhadas de, no mínimo, 15 minutos de ida e 15 minutos de volta, num horário com o ar mais fresco (lembrando sempre do protetor solar), e boa sorte! A gente vai se falando, tá bom? Um beijo carinhoso.


Compartilhe: